PJ prende donos da Alcazar

A Polícia Judiciária anunciou a prisão dos responsáveis da empresa Alcazar e o encerramento das suas instalações.

Esta empresa era responsável pelo site PortugalMovel.com que motivou várias queixas dos utilizadores do site junto do ICP tendo este mais tarde retirado a licença de operador.

De acordo com a Polícia Judiciária, a empresa envolvida, socorrendo-se de equipamentos sofisticados e de mão de obra especializada (programadores informáticos), desenvolveu programas informáticos ditos “maliciosos” que, uma vez acedidos, induziam em erro o utilizador de Internet, nomeadamente quanto à tarifação a que passavam a estar sujeitos, ou seja, a ligação não era efectuada pelo número do ISP (Internet Service Provider) que o cliente normalmente escolhia e a valores normais do mercado, mas sim por um número de valor acrescentado de linhas eróticas, que ascende à taxação de 659$00 por minuto.

A Secção de Investigação de Criminalidade Informática e Telecomunicações, da DCICCEF afirmou ainda que os valores envolvidos em facturação, não estando totalmente apurados, calculam-se em cerca de 5.000 contos/dia, resultantes da actividade ilícita e cuja única beneficiária era a empresa agora desmantelada.

Os factos eram tanto mais graves, quando foi possível apurar que os programas referidos anteriormente permitiam, sem conhecimento e vontade do seu utilizador, uma marcação automática e dissimulada para estas linhas de valor acrescentado.